Notícias

00000000258358140345455356996

12/04/2012

Secretaria do Emprego lança Frente de Trabalho e beneficia cinco cidades da região

Foram disponibilizadas 180 vagas para Valentim Gentil, São João das Duas Pontes, Guarani d’Oeste, Mira Estrela e Parisi

 

Cento e oitenta mulheres da região Noroeste Paulista serão beneficiadas com o programa Frente de Trabalho, lançado nesta terça-feira (dia 3), e Valentim Gentil, pelo secretário estadual do Trabalho e Emprego, Carlos Ortiz. Serão beneficiadas as cidades de Valentim Gentil, com 50 bolsas; São João das Duas Pontes, 50 vagas; Guarani d’Oeste – 20; Mira Estrela – 30 e Parisi – 30. 
 
O evento aconteceu no Centro de Convivência do Idoso, às 15h, com a presença dos prefeitos Adilson Segura, de Valentim; Gina  Mara dos Santos, de Parisi: Odair Vanzarini, de Guarani, entre outras autoridades. O deputado estadual Carlão Pignatari, que intermediou a liberação das bolsas, foi representado pelos assessores Val Rizatto e Júlio Jr. O deputado não pode comparecer devido a compromissos anteriormente assumidos na Assembleia Legislativa.
 
“A Frente de Trabalho tem como objetivo atender pessoas que estejam desempregadas há pelo menos um ano. A secretaria de Emprego oferece, então, cursos e bolsa-auxílio para qualificar esses profissionais e facilitar sua inserção no mercado de trabalho”, explica o secretário Carlos Ortiz.
 
O programa Frente de Trabalho tem a duração total de nove meses. Durante esse período, os trabalhadores passam três meses apenas prestando serviços de interesse da comunidade local, como limpeza, conservação e manutenção de órgãos públicos. Nos seis meses seguintes, além do serviço, eles também participam de um curso, com duração de 150 horas, ministrado uma vez por semana. Os alunos recebem mensalmente bolsa-auxílio de R$ 210,00, auxílio alimentação de R$ 86,00 e seguro de acidentes pessoais.
 
Para participar do programa é preciso ser maior de 17 anos, estar desempregado há pelo menos um ano, não ser beneficiário de seguro-desemprego ou de qualquer outro programa assistencial equivalente, residir no Estado de São Paulo há no mínimo dois anos e não ter familiar que participe do programa.
 
 
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp