Notícias

00000002825546791990439067212

01/10/2015

Projeto do deputado Carlão Pignatari denomina dispositivo na SP-320 em Tanabi de Armando Lustri

Homenageado era voluntário e prestava muitos serviços à comunidade tanabiense
O Diário Oficial do Estado publicou, na edição desta sexta-feira (dia 25/09), o edital de denominação do dispositivo de acesso situado no Km 488+914 da Rodovia SP 320 – Euclides da Cunha, no município de Tanabi. O dispositivo receberá o nome de “Armando Lustri”, conforme proposição feita pelo deputado estadual Carlão Pignatari. O projeto foi aprovado na Assembleia Legislativa e sancionado pelo governador Geraldo Alckmin.
“Apresentamos o presente projeto impulsionado pela estirpe, história e abundância de realizações do homenageado Armando Lustri”, destacou o deputado Carlão. Lustri nasceu em 2 de março de 1906, na cidade de Araraquara. A sugestão do nome de Armando Lustri foi feita pelo presidente do PSDB, Fábio César Ceron, e pelo vereador Adauto Donizete Magri – cocó, também do PSDB.
Casou-se com Yolanda Lacrativa Lustri, dia 20 de maio de 1934 e ingressou na Companhia de Força e Luz (CPFL) em 1º de março de 1924 e se aposentou no dia 15 de abril de 1966, como gerente. Teve cinco filhos: José Carlos Lustri, morador de São Carlos – SP, Luis Carlos Lustri (in memorian), morador de Cardoso-SP, Ardiley Lustri, proprietário da Rádio Clube Tanabi, Carlos Alberto Lustri, morador de Olímpia-SP e Nilcéia Lustri Cerneviva, moradora de Santa Adélia-SP, teve 19 netos.
“Sempre prestando serviços à comunidade, quando ainda não havia energia elétrica, percorria todas as ruas da cidade, ao anoitecer, para acender as lamparinas e pela manhã, voltava para apagá-las. Fez diversos projetos elétricos gratuitos para diversas entidades municipais, entre eles o projeto e instalação elétrica do Clube dos Tangarás, e Tanabi”, justifica o deputado.
Carlão acrescenta que para enriquecer ainda mais sua trajetória de vida, “Lustri fez da generosidade e do altruísmo suas principais vaidades, como exemplo da nobreza da atividade de voluntariado, que dedicou sua vida para o serviço à comunidade e terminou deixando um legado incapaz de ser mensurado por números, mas, sem dúvida, dimensionado por linhas de conduta aos jovens”.
Por isso, recomenda o deputado, “nada mais justo do que denominar o dispositivo de acesso com o nome de um voluntário que sempre foi inspiração àqueles que trabalham de sol a sol, para bem servir a comunidade, razões pelas quais propomos seja prestada está lídima homenagem a Armando Lustri”, que viveu por 25 anos em Tanabi, até sua morte em 28 de outubro de 1988, finaliza Carlão.
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp