Notícias

00000003143312821886787102002

09/08/2012

Polícia Civil e OAB de Jales pedem intervenção do deputado Carlão Pignatari

Com a criação da região administrativa de Araçatuba, Jales passaria a ter nova jurisdição

 

 
Representantes da Polícia Civil, OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) e Associação Comercial e Industrial de Jales (ACIJ) estiveram reunidos com o deputado estadual Carlão Pignatari (PSDB) nesta terça-feira para solicitar que ele intervenha junto ao Governo do Estado para evitar que Jales passe a ser subordinada a Araçatuba. Atualmente, a Polícia Civil de Jales pertence à jurisdição do Deinter-5, de São José do Rio Preto.
Por outro lado, também o Poder Judiciário de Jales passaria à jurisdição da 2ª região administrativa de Araçatuba, criada recentemente pelo Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo. O objetivo da medida, de acordo com a justificativa, é descentralizar os serviços, que antes ficavam sob a responsabilidade do Tribunal de Justiça, e oferecer mais eficiência administrativa. Porém, para Jales, segundo os representantes daquela cidade, o melhor caminho seria continuar subordinado a Rio Preto.
Estiveram com o deputado Carlão, para apresentar a reivindicação, o conselheiro estadual da OAB, Carlos Alberto Expedito de Brito Neto; o presidente da 63ª Subseção da OAB de Jales, Aislan de Queiroga Trigo; o delegado de Polícia José da Cruz Almeida; e o presidente da Associação Comercial e Industrial e do Sincomércio (Sindicato do Comércio), Alexandre Rensi. Representantes, também, do Fórum da Cidadania de Jales, eles estavam acompanhados do advogado votuporanguense Wilson Luiz de Souza Foz. 
“Apresentamos o pedido ao deputado Carlão, que é o nosso representante na região, para encaminhamento ao governador Geraldo Alckmin, para que haja uma melhor avaliação da distribuição de cidades para a nova região administrativa. Para nós de Jales, São José do Rio Preto é a melhor opção”, disse o presidente da OAB, Aislan Trigo.
O deputado Carlão Pignatari disse aos jalesenses que vai encaminhar a reivindicação aos setores competentes do governo paulista.
 
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp