Notícias

00000000072882707824393468657

30/03/2011

Investidores de Usina Fotovoltaica visitam Votuporanga

Reunião com secretário de Energia do Estado, deputado, prefeito de Votuporanga e espanhóis

Carlão Pignatari está intermediando os contatos com o governo do Estado; agora ele quer agendar reunião com o governador Geraldo Alckmin

Após meses de reuniões e negociações com grupo espanhol, Votuporanga poderá ser a primeira cidade do Brasil a receber uma usina fotovoltaica (energia solar). Toda a conversa ainda está em fase de estudos e negociações. Nesta segunda (31/01), os espanhóis estiveram em Votuporanga reunidos com o prefeito Junior Marão e com diretores da Unifev – Centro Universitário de Votuporanga.

Na última semana, o deputado Carlão Pignatari intermediou a primeira negociação com o governo do Estado. Agendou uma audiência com o Secretário de Energia do Estado, José Aníbal, junto ao prefeito de Votuporanga para discutirem a viabilidade do projeto. O deputado pretende, ainda, agendar outra reunião com o governador Geraldo Alckmin, enquanto os investidores estiverem em Votuporanga, para que possam apresentar pessoalmente o projeto.

Pelos cálculos, o investimento seria de aproximadamente R$ 250 milhões, provenientes de capital estrangeiro. Como explica o deputado Carlão Pignatari, o valor é alto e por isso o Estado deve analisar com cautela todo o projeto, mas adianta que o secretário Aníbal se mostrou animado. “Um dos papéis principais desta nova secretaria é buscar alternativas de fontes renováveis de energia, preservando o meio ambiente. Acredito que serão discutidas formas de subsidiar o projeto”, acrescenta.

Expansão Solar

De acordo com os empresários, o mercado brasileiro é visto como um dos mais promissores neste tipo de energia. São cerca de 1.800 horas de sol por ano, considerado um país com grande expansão solar. “Enxergamos o Brasil com grande potencial para investirmos e Votuporanga é uma cidade que nos agradou muito,”esclarece sobre a escolha da cidade Pedro Vaquer Brunet.

Pesquisa Científica

Após a primeira reunião no gabinete do prefeito, o grupo seguiu para Unifev onde se reuniram-se para falar sobre assinatura de convênios para futuros desenvolvimento de pesquisas científicas. “Pensamos em criar um núcleo de pesquisas, assim contribuir para o fortalecimento dos cursos de engenharia elétrica, possibilitando aos alunos conviverem com teoria e prática”, acrescenta o espanhol José Bascones. 

Capacidade

O projeto da usina visa converter a radiação solar em energia elétrica. O Brasil é também um dos maiores produtores de matéria-prima básica de equipamentos, o sílico. “Produzindo com a matéria-prima local o custo tende a diminuir”, fazem comparativo. O projeto visa produzir 33 megawalts, capacidade de abastecer aproximadamente 30 mil habitantes.

Avanço do governo

Para o deputado Carlão Pignatari, o governo precisa avançar nessa área. “Temos uma fonte limpa, rica e em abundância que é a luz solar. Apesar de ser um investimento caro, esse é o futuro: aproveitarmos mais os recursos naturais utilizando as novas tecnologias.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp