Notícias

00000001025243791097321557329

17/07/2013

Deputado Carlão Pignatari propõe apenas uma reeleição para integrantes do Legislativo

PSDB apresentou proposta que inclui fim da reeleição para o Executivo, com mandato único de cinco anos
O deputado estadual Carlão Pignatari (PSDB) está propondo que na reforma política que será realizada seja inserida apenas uma reeleição para os ocupantes de cargos no Legislativo, nas esferas estadual e federal. A proposta de Carlão vem complementar o que prega o PSDB nacional, que lançou um projeto próprio para a reforma. 
Segundo Carlão, a proposta tucana defende apenas o fim da reeleição do Executivo e estende os mandatos para cinco anos. Para o deputado, além do fim da reeleição para o Executivo, é imprescindível a mudança também no âmbito do Legislativo. “O deputado estadual, por exemplo, poderia ser reeleito apenas uma vez; depois, se quiser continuar na política, que postule outro cargo, de deputado federal, de prefeito, senador, menos o de deputado estadual”, propõe.
“Não é concebível que um político do Legislativo permaneça no cargo por mais de dois mandatos, ou seja, acima de oito anos. Acredito que isso seria tempo suficiente para se realizar muitos projetos; depois seria dada oportunidade a outros postulantes. Tem deputados e senadores que ficam se reelegendo e permanecem 20 ou 30 anos no cargo, acabam se profissionalizando e canalizam seus projetos para interesses próprios”, critica o deputado Carlão.
A proposta de reforma política tucana prevê ainda o fim das chamadas coligações proporcionais, o que impediria que parlamentares com expressiva votação carreguem para o Congresso partidários com menos votos. “É o caso de alguns candidatos, que não têm nada a ver com a vida pública, se candidatam, recebem uma votação astronômica e levam consigo outros candidatos com baixo número de votos”, diz Carlão.
Outro ponto, que inclusive gerou a discussão sobre a realização de um plebiscito, seria a criação do voto distrital misto, com eleição de deputados pelo sistema distrital e pelo proporcional.
“Acredito que devemos fazer uma reforma política com propostas claras, que acabe com os vícios de políticos ‘profissionais’. Assim, com toda certeza, teríamos menos corrupção e o povo seria muito mais beneficiado”, conclui Carlão.
 
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp